sexta-feira, 23 de junho de 2017

#968

http://observador.pt/2017/06/22/este-ano-e-proibido-lancar-baloes-de-sao-joao-gondomar-quer-proibicao-permanente/


Parece que os senhores do governo finalmente tiveram coragem para fazer o que já deviam ter feito há muito tempo. Já é sabido também que vai haver muita gente a revoltar-se e a dizer mal, mas ninguém quer saber desses velhos do Restelo. A tradição já não é o que era e temos que nos adaptar. Se esta é uma tradição que pode causar incêndios que queimam matos, floresta, casas e até pessoas, porquê insistir nisto? Mandem balões com LEDs, como já vi sugerido em algum sítio.


Vá, bom São João a todos, e sem balões, já sabem!

quinta-feira, 22 de junho de 2017

#967

O ar condicionado esteve ligado anteontem o dia todo no escritório. Nem costumo ser dessas pessoas que se incomodam com isso, até porque de facto estava muito calor, mas durante a tarde já estava a sentir a garganta a doer-me um pouco. Não pedi para desligarem, pois ninguém quer ser a pessoa que pede para desligar o AC e ficar a ser odiada por todos, não é? A dor de garganta continuou no dia seguinte e ontem à noite estava a sentir-me um pouco doente. Hoje vim trabalhar, mas estou cheia de ranho, as dores de garganta continuam, sinto-me até um pouco mole e adoentada. Devia ter ficado em casa, na cama, a entregar-me à doença e cheia de auto-comiseração, a beber chá e dormir o dia todo.

#966




Nada como uma pá dobrável, que podemos transportar facilmente connosco na carteira, para aqueles dias em que matamos alguém sem contar e temos de enterrar o corpo. Obrigada, Tiger.

#965

Dei por mim a pensar como eram algumas coisas há uns anos atrás, sem internet. Comprar um carro, por exemplo. Hoje em dia podemos ir aos sites e ver logo fotos do carro e descrição de todas as características. Antes não víamos imagens nenhumas, tínhamos apenas acesso a anúncios em jornais, pequenas descrições sobre os carros que tínhamos depois de ir ver ao vivo.
Anúncios de emprego, por exemplo, outra das coisas que está muito diferente. Conseguimos fazer pesquisas específicas para as posições que queremos e enviar o CV com um clique. Antes tínhamos de ler o jornal de ponta a ponta e depois enviar cartas com CVs em papel pelo correio.
E ir a sítios apenas com mapas, sem GPS? Toda uma realidade que não consigo nem imaginar.
Obrigada, internet, pelas coisas boas que trouxeste.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

#964

É curioso como o ser humano se envergonha de funções naturais do seu corpo, como a barriga a roncar de fome, ou fazer cocó ou arrotar, coisas fisiológicas que não controla, e não se envergonha de traços de carácter como a mentira, a inveja ou a maldade, características sobre as quais tem poder para controlar e até para mudar.

#963

Dúvida da semana: afinal a Pierre Cardin é uma marca premium ou não? Eu tinha ideia que era mas depois vejo mantas e toalhas da Pierre Cardin à venda no Espaço Casa e fico confusa.

terça-feira, 20 de junho de 2017

#962

Há um efeito muito curioso que acontece no meu local de trabalho: eu trago fruta fresca de casa, de manhã, numa lancheira, para o lanche. Deixo a lancheira na minha mesa, aberta, para entrar ar. Quando vou lanchar por volta das 17h, já essa fruta está praticamente podre. Isto quer dizer que quase todos os dias eu como kunami (quem nao souber o que é, que faça uma pesquisa no google por kunami e gato fedorento).

#961

As coisas de que eu gosto.


Elefantes.




#960

Ainda sobre o incêndio em Pedrógão, para quem quer ajudar, gostava de deixar aqui um apelo para não o fazerem através daquelas linhas telefónicas criadas pelas televisões e fazê-lo antes através do depósito em conta ou transferência para as contas dos vários bancos que também estão a ajudar, como a CGD, o Montepio, Novo Banco, etc.
O problema dessas chamadas é que a chamada custa cerca de 75 cêntimos aproximadamente, mas apenas 50 cêntimos são para ajudar realmente. O resto do dinheiro será para pagar a comissão das operadoras e ainda o IVA. Pode não parecer muito porque estamos a falar de cêntimos, mas se virmos por exemplo em 1000€, serão cerca de 200€ para o custo do IVA que vai para o Estado, cerca de 150€ que serão para taxa das operadoras, sendo menos de 700€ para ajuda propriamente dita (contas redondas).
Já se depositarem dinheiro nas contas bancárias criadas para o efeito julgo não haver nenhum imposto devido, mas também não tenho a certeza absoluta. Pelo menos não pagam IVA nem comissões telefónicas.

segunda-feira, 19 de junho de 2017

#959

Não há muito mais a dizer sobre o fogo que ainda arde em Pedrogão e terras vizinhas. Já muito foi dito, já tudo foi dito. É uma tragédia, é lamentável, é impensável. Perderam-se várias vidas de uma forma horrível, tenebrosa, nem consigo imaginar. E tentando ultrapassar isso tudo, também não consigo imaginar como os que sobreviveram vão viver ou sobreviver a partir daqui. Muitos perderam tudo ou perderam muita coisa, construída ao longo de uma vida. Eu não sei se teria coragem para recomeçar, iria sentir-me completamente perdida. Não sei se as ajudas que falam são para devolver as casas, os carros, as máquinas de trabalho, e tudo o resto às pessoas. Sinceramente não sei como funciona isso, não sei o que as ajudas englobam. Custa-me pensar como estarão estas pessoas daqui a uns meses, daqui a um ano. Porque daqui a uns meses já ninguém fala disto. Como nao se fala das vítimas dos incêndiso na Madeira do ano passado, nas vítimas das enxurradas da Madeira de há uns anos, cai tudo no esquecimento, mas essas pessoas continuam a viver, provavelmente com mais dificuldades do que antes, com mais mazelas ou traumas psicológicos.
É tudo muito triste e difícil de aceitar e digerir.

#958

Tenho um destes suportes para portátil do Ikea, para usar no sofá:






Poucas vezes o usei para esse fim. Mas é uma cama de gato fantástica. Está na mesa da sala virado ao contrário e os gatos adoooooram dormir lá!

sexta-feira, 16 de junho de 2017

#957


#956

O Marco é tão invejoso que quando está a comer põe a pata em cima da tigela da ração para a Mimi não pensar em ir lá também.

#955

O Marco é tão invejoso que quando vê a Mimi a dormir em algum sítio vai ferrá-la para ela sair e ir ele para o sítio onde ela está, mesmo que só lá esteja uns minutos e depois vá embora.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

#954

Há pessoas que nos tiram do sério. Que só de ouvirmos a voz delas nos apetece desatar a bater-lhes. Que todos os comentários nos causam raiva. Que por mais que nos esforcemos para as ignorar, nos causam urticária, nos mexem com os nervos. Que o mero facto de existirem nos causam transtorno. Trabalho ao lado de uma dessas pessoas. Se eu deixar de escrever aqui inexplicavelmente, é porque fui presa por agressão.