terça-feira, 17 de outubro de 2017

Dúvidas

Dúvida da semana: porque é que aquela frase ou ditado ou lá o que era dizia ‘caracol, caracol, põe os corninhos ao sol’ se eles só saem dos seus esconderijos quando há chuva?

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Novo design

Os mais atentos vão reparar que as cores do cabeçalho estão diferentes. Não que não gostasse das outras, mas tento sempre deixar o blog o mais work friendly possível, para que tanto eu como os leitores o possam abrir no trabalho, caso desejem, sem grande alarido.
Acho que assim com menos cor está mais sóbrio, mas estou sempre aberta a outras sugestões.

PS: é só no meu pc ou também têm de fazer scroll para os lados para apanhar o blog todo?

PS2: julgo que era do meu pc ter zoom, tenho sempre zoom para ver melhor. Se puser a 100% já me parece bem, mas se estiver mal por favor avisem para arranjar.

PS3: de qualquer forma, ajustei um pouco a largura para quem, como eu, gosta de usar zoom, não ter de estar sempre a fazer scroll para os lados.
Hoje não estou a conseguir concentrar-me no trabalho. Estou a ler de forma obsessiva as notícias todas sobre os fogos, as actualizações, as declarações dos políticos, as teorias, os vídeos que as pessoas partilham, o número de vítimas mortais, todas as casas, florestas, fábricas e tudo o resto que ardeu e arde, e estou sem palavras suficientes para exprimir a minha revolta.
Não quero fazer disto um caso político de direita vs. esquerda, e sendo eu completamente anti-esquerda, a minha posição naturalmente é parcial, mas caramba, não há quem cale e afaste do poder estas pessoas que só debitam disparates em público e que são completamente incompetentes face a tragédias? Eles próprios assumem que não bastou uma tragédia (Pedrogão Grande) para aprenderem, precisam de mais tempo para ler o relatório, dizem eles completamente sem vergonha.
Eu sei que não é culpa de ninguém o tempo que faz, as condições propícias para a propagação dos incêndios, e até posso acreditar na teoria de isto ser tudo orquestrado, mas se eles próprios acham isso, não era de estarem mais bem preparados?
Não há memória de um ano como este. Tivemos dezenas de mortos no fogo de Pedrogrão Grande há uns meses e ontem outra tragédia, menos vítimas mortais para já, mas em extensão e danos provavelmente muito pior e eu só consigo pensar 'e se fosse eu?' e não consigo sequer imaginar a aflição, a revolta, a frustração, o medo. Aquele mapa de Portugal com os pinos vermelhos a assinalar os fogos activos provoca-me arrepios.
Nem se pode esperar que isto tudo sirva de lição porque, como já vimos, não serve. Assim sendo, e se fosse um partido de direita nestas condições seria absolutamente igual, espero que os 'políticos' e restantes boys incompetentes no poder tenham uma réstia de vergonha na cara e se demitam (ou os demitam, não interessa muito, desde que vão embora) para dar lugar a pessoas mais capazes. Não interessa o partido, é só preciso serem mais capazes.

Vómito. Vómito infinito


Vigo



Vigo também está a arder. Uma amiga minha que mora no centro da cidade, perto do Castro, um parque urbano que ardeu, também passou uma noite má, com as malas prontas para fugir caso fosse preciso. Tudo muito triste.

Sem comentários


sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Gatinhos

Gato preto numa sexta-feira 13. É aquela minha teoria, uma superstição anula a outra, como nas duplas negativas.
Boa sexta para todos!



quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Quem nunca

As mães ao telefone são todas iguais. Falam, falam, falam, de coisas irrelevantes muitas vezes, e não ouvem nem deixam falar. Que atire a primeira pedra quem nunca tirou o telefone do ouvido à espera que elas se calassem para finalmente falar.

Sugestão para gulosos

Ontem fui ao Ikea à hora de almoço e aproveitei e almocei por lá. Nunca tinha almoçado lá no restaurante. Que quantidades industriais de comida que eles deitam! Comi almôndegas vegetarianas com espinafres salteados e batatas fritas. Só almôndegas tinha dez! Eu em casa como cinco e já fico cheia. Os espinafres eram assim um monte gigante e as batatas fritas tive de pedir para pararem de deitar no prato. Um exagero. Eu, que como praticamente até se ver comida ao fundo da garganta, tive de deixar comida. Não consegui, era muita coisa. E este prato gigante custa 4 euros. Para quem gosta de comer muito (e bem, a comida estava bem confeccionada), é o sítio para se ir!

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Actualidade

http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/governo-portugues-apela-a-preservacao-da-unidade-em-espanha-219173


Eu gostava de saber se os outros governos também fazem 'apelos' quando se trata de situações em Portugal, ou se é só parolice típica de português.

Gostos não se discutem

As coisas de que eu gosto.



Velas (giras).






Para todos os idiotas que não querem saber

Queria só mandar aqui publicamente à merda todas as pessoas que, sabendo da seca que o país está a passar, continuam a ligar a rega todos os dias sem excepção, alegremente.
Conheço uma pessoa que faz isso, mesmo depois de eu ter visto os seus aspersores a regarem o seu relvado extenso, e lhe ter dito que estamos em seca e que há sítios em que as populações já têm de ser abastecidas com camiões cisternas, que não têm água para dar aos animais, em que as torneiras nãio deitam água durante o dia, etc. Mas ele não quis saber, aparentemente. É muito bom ser-se menino da cidade e não querer saber dos problemas dos outros que, para já, não nos afectam.

Para começar bem


Hoje distraí-me enquanto infundia o meu chá de manga e morango e acabei com um chá de hibisco. Raios, odeio hibisco! (para quem está atento, eu de facto não compro chás que tenham hibisco, mas este foi uma amiga que me trouxe de Inglaterra)

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Depois do apocalipse, vão sobrar as baratas e os arrumadores

Com o desenvolvimento da tecnologia nos carros para o estacionamento, seja com sensores e sinais sonoros, câmaras ou até aqueles sistemas mais completos de estacionamento assistido ou automático, seria de prever que a 'profissão' (uso livre do termo) de arrumador de carros estivesse para ser extinta rapidamente. Nós todos queríamos que eles se extinguisse rapidamente, aliás. Mas eles são resistentes como as baratas e não caem nessas tangas das modernices. Vão ajudar, sim, nem que os condutores não queiram. Nem que atrapalhem mais do que ajudam. Isso sim, é resiliência.

Calma, afinal há países menos desenvolvidos do que Portugal

No domingo à noite estava jantar na baixa, numa esplanada. Estava calmo, era domingo à noite, não anda muita gente a passear, alguns locais e alguns turistas apenas. O camião do lixo parou para despejar um daqueles contentores grandes, subterrâneos. Aqueles camiões que têm uma espécie de grua que pega no saco do lixo e o sobe e despeja no camião. Não imaginam a quantidade de gente que se juntou para ver o lixo a ser despejado. Pessoas a tirarem fotos e/ou a gravarem vídeos! As pessoas vieram não sei de onde e juntaram-se todas à volta do camião do lixo, um espectáculo pelos vistos bastante interessante. Por momentos, quase imaginei que nenhum daqueles pobres turistas vive num país civilizado onde há recolha de lixo. Que o lixo do país deles se acumula nas ruas e vão lá os senhores à mão limpar tudo, sem recurso a camiões ou maquinaria. Como é que uma cena tão simples como um camião a despejar o lixo pode despertar tanta curiosidade e admiração? Muito bizarro.