sexta-feira, 18 de maio de 2018

quinta-feira, 17 de maio de 2018

As pequenas coisas

Momentos de felicidade: a conduzir, sozinha, a ir para casa depois de um dia de trabalho, enquanto ouço alto o novo álbum dos Dimmu Borgir e como um croissant de chocolate.

O melhor do mundo


Adoro: comida.
Adoro: coisas grátis.
AMO: comida grátis.

Actualidade

A cada hora que passa, portugueses desviam dos aterros resíduos equivalentes ao peso de 12 elefantes



...uma quantidade de resíduos, equivalente ao do peso de 12 elefantes, seja desviado de aterro...


...Estas 7,5 milhões de toneladas de resíduos reciclados equivalem ao peso de três Pontes Vasco da Gama...


Que medidas são estas, Elefante e Ponte Vasco da Gama? São as novas medidas do sistema métrico? Tipo em 'Consegui finalmente emagrecer 0.0004 Elefantes depois destas três semanas de dieta.' ou em 'Posso ir contigo ao ikea, mas não penses que vou carregar aquele sofá que deve pesar umas 0.0000003 Pontes Vasco da Gama.'


E para que não haja dúvidas, eu usei o peso do elefante asiático. O artigo não menciona qual elefante é que o sistema métrico vai adoptar para esta nova medida. No caso de ser ou o elefante da savana ou o elefante da floresta é preciso fazer as contas.

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Wrap mistério

Semana passada almocei na Companhia das Sandes. Um menu wrap e sopa. Wrap de pasta de delícias do mar, que mais parecia um wrap mistério porque não se sabe o que tem lá dentro. Deixem-me dizer-vos o que tinha o wrap: 2 folhas de alface, 3 grãos de milho (podiam ser 2, mas estou a dar o benefício da dúvida), 4 quadradinhos de 2 cm de tomate, umas raspas de clara de ovo, que nem chegava a ser uma fatia, e uma pasta de delícias do mar que de delícias só tinha um suave sabor, o resto era maionese só. O wrap parecia mais um guardanapo dobrado, de tão fino que era. Não me lembro de me sentir tão defraudada ultimamente em termos de comida. Para verem o estado em que fiquei, nem sequer me apeteceu reclamar. Comi aquilo num misto de agonia, tristeza e desilusão, enquanto decidia mentalmente nunca mais lá ir.

Gatinhos


terça-feira, 15 de maio de 2018

Visto recentemente numa loja de roupa

Por falar em t-shirts com frases em inglês com erros...










Só um pequeno reminder


“o efeito da radiação ultravioleta na pele é cumulativo”, o que significa que “todos os minutos de exposição são somados ao longo da vida, levando mais tarde ao aparecimento de cancro de pele, bem como envelhecimento acelerado da pele.”

Actualidade

Eurovisão. Membro da comitiva espanhola agredido em Lisboa


Braga. Polícia investiga possível crime sexual depois de encontrar jovem seminua e desorientada


O mais triste destas notícias nem são as notícias em si, são os comentários. Retrógados, intolerantes, homofóbicos, machistas, feitos por verdadeiras bestas com a inteligência de uma mosca. A maior parte são homens, claro. Apesar de também haver algumas mulheres a dizerem este tipo de parvoíces, grande parte vem da boca de trogloditas que não têm nada na cabeça e sentem-se uns verdadeiros reizinhos, provavelmente até batem na mulher, no caso de terem arranjado alguma coitada que os ature. Odeiam 'paneleiros' e as mulheres são violadas porque 'estavam a pedi-las'. Gostava de saber quem são estas pessoas, saber que escolaridade têm, o que fazem, quem é a sua família, onde moram, para perceber se são pessoas normais que se movem no meio das outras, imperceptíveis, ou se realmente, como parece, são pessoas reles que nunca irão sair da cepa torta.
Fico mesmo raivosa e triste de ver que, em pleno séc. XXI, ainda se escrevem e pensam coisas destas e que as mentalidades são as mesmas do séc. XVIII. Eu sei que é a internet, mas aqui é que se vê o que as pessoas realmente pensam, protegidas atrás do seu ecrã. Estas pessoas metem-me nojo.

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Actualidade


https://24.sapo.pt/opiniao/artigos/nao-faz-mal-este-mes-tomas-tu-os-comprimidos-para-o-proximo-mes-tomo-eu




"Não faz mal, este mês tomas tu, para o próximo mês tomo eu"


Li este artigo e esta frase deixou-me com um nó na garganta. A mim, que não tenho sentimentos.

O super funcionário

Não sei se já expus aqui a minha teoria de como os serviços públicos funcionam. Serviços públicos tipo finanças, segurança social, secretarias de escolas e universidades, e muitos outros serviços do género. Vamos pegar nas finanças como exemplo. Então a situação é a seguinte: dezenas de pessoas que trabalham lá, de várias idades, normalmente dos trintas (eventualmente dos vintes mas nunca vi) até aos cinquentas ou sessentas. O chefe, normalmente é um homem, já está nos seus cinquentas pelo menos. O que é que estas pessoas têm todas em comum, para além de serem funcionários públicos? O não perceberem nada do que se passa lá. Sabem fazer os processos básicos, as coisas que se fazem todos os dias ou todas as semanas, as rotinas. Se aparece algum caso um pouco diferente aí é que temos um problema. Ninguém sabe resolver e é vulgar empurrarem para o colega do lado, tenha ou não alguma coisa a ver com isso. Toda a gente já passou por aquela situação do ‘não é esta senha, é a B’ e depois ficamos presos nesse ciclo vicioso em que nenhuma senha é a do nosso caso. Até que chegamos a um funcionário que nos tenta impingir para um colega de onde já viemos e começamos a perder a paciência e a reclamar alto já. O funcionário fica com vergonha e, contrariado, lá tenta resolver o nosso problema. Chama o chefe que, coitado, ainda sabe menos do que ele, porque já nem sequer faz trabalho operacional, só assina documentos, e que, por sua vez, vai chamar O Funcionário. E que Funcionário é este? É normalmente uma pessoa mais jovem, nos seus trintas, que deve estar lá há menos tempo e que ainda tem vontade de aprender e trabalhar, que é esperta e que é a única desse serviço de finanças que percebe daquilo. Que sabe resolver as situações todas, ou quase todas, e que basicamente safa todos os seus colegas. Lá vem essa pessoa, analisa o nosso caso, logo nos diz o que temos de fazer, que impresso temos de preencher e dá instruções ao funcionário que nos atende como dar seguimento ao processo. Ou seja, esta pessoa é a única pessoa verdadeiramente competente de todo aquele serviço de finanças. Provavelmente até será a que ganha menos, porque está lá há menos tempo e ainda não progrediu na carreira.
Na secretaria da Faculdade de Letras era a Sónia. Saudações, Sónia, e obrigada por teres resolvido todos os problemas que tive ao longo do curso. Saudações também para cada um dos funcionários de cada serviço que põem isso a mexer. Espero que sejam promovidos e valorizados pelo que fazem todos os dias, pelos vossos colegas e pelos utentes também.
Agora imaginem um mundo onde todos os funcionários dos serviços eram este Funcionário, que sabe tratar de tudo.

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Modas

E a situação Eurovisão, quando vamos parar de ouvir falar disso? Primeiro foi a praga do futebol e do Porto, agora veio esta. Políticos, é uma óptima altura para fazerem passar leis duvidosas, mãos à obra!

Actualidade

Morreu David Goodall, o cientista que desistiu de viver aos 104 anos


Se eu chegar a velha, gostava de já ter a hipótese de poder escolher morrer também. Não sei como é tão difícil aceitar que as pessoas chegam a um ponto que não têm nada mais que as prenda aqui e que só estão a definhar, preferindo uma morte rápida. Com 104 anos anos, o que é que este senhor poderia querer mais da vida? Que coisa tão boa é que poderia acontecer-lhe caso escolhesse não morrer que o pudesse fazer arrepender-se dessa decisão? Ganhar o euromilhões? Ir conhecer o mundo? Conseguir levantar-se da cama?
Isto é tipo o aborto. Quem é contra, não tem de fazer nada, não é obrigado a nada, só tem de continuar a sua vida como até então. Quem é a favor e quer fazer, faz.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Manias

Um dia desta semana, reparei nas minhas unhas, grandes, e comecei a obcecar com elas. Começaram a incomodar-me. Cada vez que sentia o via aquelas unhas enormes via ficava tola. Então pensei num plano: à hora de almoço iria ao shopping comprar um corta-unhas e uma lima e depois quando chegasse ao trabalho iria à casa de banho e cortava lá.
À hora de almoço correu tudo bem, comprei um corta-unhas e uma lima.
Quando cheguei ao escritório, fui à casa de banho. Levei o material e fechei-me lá. Se demorasse muito, as pessoas pensariam que estava a fazer cocó, nada demais. Quando peguei no corta-unhas percebi que era um corta-unhas de pés, porque a forma das lâminas era ao contrário. Sem problema, resolve-se, só é preciso dar mais cortes e limar mais. Quando dou o primeiro corte, percebo que aquilo fazia um barulho tremendo. TIC! Tive de cortar muitas vezes cada unha, até porque aquilo cortava um pouco mal. TIC TIC TIC TIC. Consegui cortar uma mão inteira, não ia deixar a meio, mas comecei a stressar com o barulho e decidi não cortar a segunda. Limei as unhas o mais rápido que consegui, a lima também não era grande coisa, e saí de lá, com ar de culpada. Resultado: andei o resto da tarde com uma mão com as unhas cortadas e com as da outra mão grandes.
Apesar de aquilo me estar a incomodar imenso, claro, acho que acabou por ser melhor do que a situação inicial, até porque a unha que mais me estava a incomodar no início era da mão que já estava tratada.
Mal cheguei a casa, a primeira coisa que fiz foi cortar as unhas que faltavam. Ufa, que alívio, simetria.